No Sítio onde os Lobos uivam

No Sítio Onde os Lobos Uivam

Sempre tinha ouvido dizer que que quando sonhamos três vezes com um local devemos procurar ir sem dizer nada a ninguém. Ao chegar sozinhos devemos escavar que ali encontramos um tesouro .

Histórias de Mouras encantadas e cavernas com passas que se transformam em ouro como as pequenas pepitas que encontramos na beira de caminhos da vida.

Para ele o sonho fora intenso o sítio do sonho parecia identificar e a ideia não deixou de o atormentar durante todo o dia …. mas era um tormento doce intenso que lhe dizia vai …..

Como no sonho deixou aproximar a tarde, preparou no termo o café forte para a jornada e foi como no sonho …. que é da vida sem sal …..

Percorreu a estrada com mil ideias … que iria encontrar precisamente naquele local , mas o sonho era claro empurrava o docemente quilómetro a quilómetro.

Desceu a rampa íngreme , percorreu os últimos pedaços de sol, viu as duas montanhas do sonho, depois o ribeiro, passou para uma estrada de pedra

Os pequenos solavancos do carro faziam de novo pensar…. o que estaria por ali. Tinha a certeza era mesmo aquele o sítio.

Parou, saiu do carro o manto doce da noite pedaço a pedaço envolveu o doce, forte, intensa. Sentiu que devia esperar. O vento frio e o sonho chegaram e deram as mãos. Ouvia os pequenos ruídos da natureza. Na estrada avistou um carro, parou ao lado do seu. Saiu um vulto escuro, ouviu a porta a bater.

Ela aproximou se …

-cheguei  o caminho foi longo

Caminharam sem uma palavra, sentaram-se, ele abriu o termo do café gole a gole partilharam na velha caneca de barro a história do sonho ao mesmo tempo que aqueciam as mãos .

Ao longe um bater de dentes depois outro ouviram juntos os lobos a uivar… tinha chegado o momento….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *