Depois do Sonho

Depois do Sonho

A manhã de menino faz já tanto tempo…ele que passou tão rápido, a escola naquele dia tinha parado. Sentados e disciplinados como de costumo foi ainda naquele tempo, por cima do quadro negro uma trilogia dois retratos ladeavam a cruz do mistério que a vida tinha para dar. Por cima da secretária enorme um teimoso e enorme rádio de um laranja carregado daqueles ainda a válvulas, rodeado por professores vestidos à la belle  époque, preocupados agitados talvez outros adjetivos. O professor afagava a barba deixava no meio de tudo uns sorrisos calmos para talvez esconder outros sentimentos. A manhã ia alta e de lição nada se ouviu. A imagem do professor que faz pouco acaricia a barba numa cadeira empoleirado para daí a pouco sair, carregando o fardo de dois retratos e um vestido de branco outro de preto. Desapareceram dali para sempre e solitário ficou o senhor na cruz. No caminho para casa de uma manhã diferente onde ao chegar se ouviu a palavra revolução.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *