Caiu a noite

Caiu a noite

O frio solene de inverno o coração que saltita e hoje transborda. Hoje apetece me, talvez sonhar… que caiu a noite redonda que esperei por ti…. que fomos os dois na noite por ali. Passamos o rio , o outro rio e paramos na serra. O abraço frio da noite o sorriso disfarçado quando entramos , a fome de ti. Hoje apetece me ser rio sem barqueiro e correr para um mar , sentir a água quente , o cheiro aveludado de um café… quando procuro na noite aquele sinal… o sinal que nunca esqueci. Espero em vão , veludo sombras e sons frios. Hoje e amanhã quero sonhar no teu corpo. Quando me perdi naquelas estradas e só sonhei por ti, mil sensações e pontos tardios. Por vezes volto ao caminho para me perder de novo ,ouvir o som dos uivos selvagens quando me dá vontade de te ter a meu lado ali.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *