Imaginei o Rio

Imaginei o Rio

Imaginei o rio, a ponte, a esplanada  o sabor do café, o teu cabelo  e … olhar o fundo dos teus olhos. A margem onde te encontrei, onde por vezes te encontro e onde te quero encontrar.

Hoje ao ver o nevoeiro do caminho pensei tudo de novo. Tudo mesmo … o que dizemos um ao outro e também o que pensámos e não dizemos. Sabes hoje ouvi de novo uivar os lobos, imaginei a varanda o arvoredo. As sensações estranhas de sentir. Vi a corrida desenfreada do teu pensamento, vi me lá e gostei. Depois veio a calma, a cadeira, a mesa, o frio doce da noite, a chávena fumegante e o cheiro do café. Aquele frasco de café cheio de histórias que gostas de trazer.

Tu sabes os lugares e aquele lugar fala comigo em cada recanto por explorar. Quando fico calado entendes estarei a conversar com cada lugar. Os teus olhos também me contam cada passo antes dos teus lábios com aquele sabor a café.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *