A Pena da Escrita

 

 

 

A Pena da Escrita

Foram mensagens, momentos, conversas. Por vezes um entrelaçar de dedos tímido e escondido. Havia um sentir forte, um desejo permanente de estar com ela. A mensagem da manhã indicava o estado de espírito dela, por vezes as suas palavras eram mais breves, outras vezes, uma simples palavra fazia com que ele fosse trabalhar cheio de força com vontade de a ver depois da hora do jantar. Comunicavam várias vezes durante o dia, ele sedento das palavras dela, muitas palavras cúmplices, parecia que nunca iam parar de se conhecer ,tanto havia para saber e os seus caminhos tinham sido tão diferentes mas tão próximos que até arrepiava como nunca se tinham cruzado na história da vida.
Quando saia do trabalho ficava a aguardar o contacto dela, um simples sinal fazia-o pensar, sorrir ao vento sentir se feliz rir-se para as pedras da rua e para a caruma ondulante dos pinheiros em cada caminho por que ia passando. Ele sabia que os sentimentos não se conseguem medir, que as palavras são apenas palavras….. mas conseguia comparar no caminho da vida e no tempo a intensidade do seu sentir.
Por vezes na corrida que as suas vidas permitia iam até à margem do rio, timidamente davam as mãos, timidamente conseguia um beijo com sabor a café. A menina esguia de rosto triste e muitas vezes perdido nas nuvens e tempestades do passado olhava no vazio enquanto o fumo do seu cigarro esquecido entre os dedos pairava no ar. Ele gostava de a ver sorrir, de lhe desviar as farripas douradas de cabelo no rosto, de lhe segredar sonhos ao ouvido, de a fazer sentir o sol da vida. Ela por vezes sorria às tentativas dele, queria ser uma mulher forte. Ele gostava de correr o caminho com ela e de amparar os seus sonhos… mesmo quando descia as escadas da casa dela, depois de um chá partilhado na pedra da lareira e conseguia dos seus lábios um beijo escondido…… sentia tudo

2 comentários em “A Pena da Escrita”

  1. Havia um sentir forte, um desejo permanente de estar com ela. A mensagem da manhã indicava o estado de espírito dela, por vezes as suas palavras eram mais breves, outras vezes, uma simples palavra fazia com que ele fosse trabalhar cheio de força com vontade de a ver depois da hora do jantar.

    E assim começou…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *